A Entrada Triunfal de Jesus em Jerusalém Mt 21:1 a 11 e Zc 9:9 1-11

O senhor Jesus andava debaixo de uma promessa, e quando se aproximava de Jerusalém, 0 Seu ministério já tinha aproximadamente dois anos.
Ele cumpria aquilo que os profetas haviam dito a seu respeito, o que o próprio Deus prometera à serpente no Jardim do Éden: triunfo absoluto.
Há algo profundo neste texto, pois Jesus, como filho de Deus, coberto de toda glória dos céus e tendo participado do momento da criação do homem, abriu mão de tudo e por amor, se doou e veio a esse mundo para ser incompreendido e sofrer tudo aquilo que talvez nenhum ser humano pudesse suportar (João 3:16).

No entanto, durante sua caminhada terrena nenhuma pessoa que se aproximou Dele voltou vazia e todos podiam sentir plenitude do Espírito que habitava Nele.
Quando Israel pediu a Samuel um rei, voltando então as costas para o Senhor, Deus disse: “Samuel, não é a ti que rejeitam, mas a mim, e serão escravos do rei, e darão a ele sua primícias e aceitarão conviver com seus opressores”.
De fato, Israel conheceu a fúria dos césares e a violência do Império Romano, onde não podiam sequer manter sua integridade pessoal.
E essa é a mesma condição que nos encontramos atualmente, pois satanás simboliza o Império Romano, a crueldade e o pecado do mundo, que não permite que as pessoas passam conhecer um Rei que é segundo o espírito e não a carne.
Quando mais o povo de Israel sofria, mais se distanciava de Deus, perdendo suas motivações originais e passando a colocar em lugar delas outros deuses. Até que se depararam com verdadeiro Rei dos reis e Senhor dos senhores, Jesus Cristo!
Zacarias, conhecedor do grande mover de Deus, profetizou que chegaria o dia e a hora em que Jesus entraria triunfante em Jerusalém. E essa entrada, espiritualmente, significava o reconhecimento de Jesus Cristo como Messias, que não foi aclamado por aqueles que representavam as leis da sua época, mas sim pelos que estavam famintos, desesperados e sem esperança.
Também hoje não podemos nos curvar diante de homens ou dogmas, mas somente diante do Rei dos reis, tomando a mesma atitude do povo de Jerusalém, que despojando-se de si mesmo, aguardavam o momento da entrada triunfal de Jesus, saudando-o com ramos de palmeiras e seus próprios mantos, que são o despojador do velho homem (I Cor. 5:17).
E quando finalmente Jesus entrou em Jerusalém e pisou sobre aqueles mantos estendidos, espiritualmente, pisou sobre o pecado e sobre todo tipo de prisão, libertando o povo do cativeiro espiritual.

Se Jesus já entrou em sua vida, e você de fato se despiu de si mesmo, reconhecendo o Seu senhorio, e lançando sobre Ele toda a sua ansiedade, tenha a plena certeza de que Ele cuidará de você, quebrando suas deformações, os laços e os grilhões demoníacos, e manifestando a Sua verdade, que liberta.
E se você tem estado opresso, com o coração apreensivo, enxergando um Jesus distante, morto em uma cruz, eu quero te dizer que Ele está vivo.
E onde quer que coloque os Seus pés, há o domínio de Sua autoridade, o que te faz servo do Leão de Judá, e apto para desfrutar de algo que nada ou ninguém poderá te roubar, a vida eterna.
Hoje, Jesus te chama para experimentar, na sua vida, a entrada de triunfo e liberdade do Rei dos reis e Senhor dos senhores.

Compartilhe esse artigo

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
[adinserter block="4"]

Sumário

[adinserter block="5"]

Artigos Relacionados