A mulher samaritana

Meu Pai, se não é possível passar de mim este cálice sem que eu o beba, faça-se a tua vontade (Mateus 26:42)

Acaso não houve realmente outro meio para salvar o pecador? Certamente não. Contudo, ouvimos o Senhor Jesus no Getsêmani rogando ao Pai que, se fosse possível, passasse dele aquele cálice. Porventura para o pai não eram possíveis todas as cousas? “Aba pai..”. esta é a única vez relatada em que o Senhor usa de tal íntima forma de tratamento. “Aba, pai, tudo te é possível, passa este cálice…” “Meu Pai, se possível passa de mim este cálice.”
Ninguém, porém, sabia Melhor do que Ele que esse pedido não podia ser atendido, considerando-se a necessidade da salvação do pecador, e o cumprimento do eterno desígnio de Deus com vistas ao gênero humano.
Por isso, o Senhor acrescentou: “Todavia não seja como eu quero e sim, como tu queres. Meu Pai, se não é possível passar de miim esta cálice sem que eu o beba, faça-se a sua vontade”. Mesmo nessa única situação em que a vontade do Filho esteve em comparação com a do Pai, Ele se sujeitou e “foi ouvido por causa da sua piedade”(Hebreus 5:7).
O Senhor foi vitorioso nessa árdua batalha. Enquanto Seus discípulos dormiam de tristeza, Ele se levantou da oração e calmamente se encaminhou para asvaziar na cruz o cálice que havia tomado das mãos do Pai. Este cálice continha a ira de Deus sobre o pecado.
Não devemos nós, portanto, agradecer mais e mais ao Senhor por este Seu ato?

Marçal Rodrigo

wwmarcal@terra.com.br

Compartilhe esse artigo

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
[adinserter block="4"]

Sumário

[adinserter block="5"]

Artigos Relacionados