Cumplicidade

Cumplicidade
Respondeu, porém, Rute: Não me instes a que te abandone e deixe de seguir-te. Porque aonde quer que tu fores, irei eu; e onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo será o meu povo, o teu Deus será o meu Deus. Onde quer que morreres, morrerei eu, e ali serei sepultada. Assim me faça o Senhor, e outro tanto, se outra coisa que não seja a morte me separar de ti. (Rute 1.16-17)
Há momentos na vida em que desejamos suavizar a carga para os outros e por isso pedimos que eles nos deixem. Digamos que é uma atitude de aliviar a carga e permitir que o outro possa chegar em segurança.
Quando olho para esse texto, vejo o compromisso assumido por Rute fico impressionado com sua atitude. Ela devia amar muito sua sogra. Noemi, deve ter sido uma sogra exemplar, pois sua nora não deseja abandoná-la. Há cumplicidade entre as duas. Há um compromisso que será levado até as últimas consequências.
Quando olho para este texto aprendo que os compromissos devem ser mantidos por toda a vida. Nossas relações não podem ser abaladas pelas adversidades. Não podemos desistir um do outro no primeiro temporal que a vida nos apresente.
Se o compromisso deve ser para toda vida, implicitamente há a responsabilidade de cuidar do outro. Amparar na hora da angústia e da dor. Quantas pessoas estão sofrendo neste momento. Quantas pessoas estão abandonadas e largadas porque os que um dia lhes prometeram fidelidade viraram-lhes às costas. É muito fácil pensarmos na relação familiar, mas há a relação com os amigos e também de trabalho. Será que não estamos virando às costas para as pessoas que convivem connosco?
Creio que esse compromisso surge em reconhecimento ao amor que Noemi demonstrou à sua nora. Sendo assim, é preciso dizer que a cumplicidade e o compromisso surgem em um ambiente de amor e troca de experiências. Houve adaptação. As mulheres venceram o desafio da convivência e conseguiram viver em harmonia. Não ficaram se digladiando. Não tentaram aniquilar-se mutuamente. Elas uniram-se para um projecto comum. Será que estamos agindo como essas mulheres? Creio que não. Aliás, é isto que está faltando em nossos dias. Um compromisso assumido e mantido por cada um de nós. É muito fácil voltar atrás. É muito fácil desistir e abandonar o barco no primeiro temporal. O difícil é ficar e enfrentar as dificuldades até que venham os bons tempos.
Que possamos olhar para o exemplo dessas duas mulheres e assumir compromissos sérios e levá-los até o fim.
Vamos orar:
Senhor nosso Deus, queremos te suplicar em nome de Jesus que nos ajude a manter a nossa palavra.
Ajuda-nos a ser fiéis companheiros e que não possamos desistir da amizade por causa dos momentos que nos desagradam. Que possamos aprender a caminhar lado a lado e a ceder para que tenhamos um bom relacionamento.
Dá-nos a capacidade de ser solidários e carregar o outro no seu momento de fraqueza. Esta é a oração que fazemos em nome de Jesus.
Amém

Autor: Marcos Amazonas dos Santos

Compartilhe esse artigo

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
[adinserter block="4"]

Sumário

[adinserter block="5"]

Artigos Relacionados