Mensagens Invertidas

Ola, Quero falar um pouco sobre este assunto esta semana, novamente sei que piso em terreno minado, e sei que alguns de vocês já têm opiniões a este respeito, mas gostaria de colocar alguns detalhes que muitas vezes passam desapercebidos.
A primeira vez que ouvi falar sobre “Mensagens invertidas” em Cds evangélicos, confesso que fiquei decepcionado, pois considerava isto como sendo “A CONVERSA DE SATÔ. Mas, morava em Mato Grosso, as informações sempre chegavam um pouco destorcidas (hoje moro em São Paulo, e elas continuam chegando destorcidas), então não dei muito crédito principalmente porque gostava da maioria dos sons; E das músicas que não gostava, usava isto como desculpa para não ouvi-las.
Hoje, o assunto volta a ser discutido, com as mesmas acusações de satânicos e profanos, que em alguns anos atrás.
Portanto vamos falar um pouco sobre isto.

A “Backward Masking” (é assim que se conhece isso no meio musical), iniciou nos anos 60 pelos Beatles, com o intuito de vender mais Cds. Na época o Dr. John Kappas, expert que foi consultado por músicos e empresários, disse: “O desejo destes grupos, tanto público como privadamente, não era corromper a juventude dos E.U.A. Eles não estavam tentando colocar um feitiço sobre alguém, nem fazer algo duvidoso. Eles estavam simplesmente interessados em criar uma atração para as massas. Se suas mensagens lhes ajudariam a vender, então eles se utilizariam delas”.
Todos os “experts” sobre mensagens subliminares concordam que esta não é a melhor maneira de se manipular pessoas através da música. Nunca foi encontrado um resultado satisfatório que comprovasse a eficácia desta técnica.
Dr. Kappas ainda diz: “A única forma de intensificar a reação à letra é grava-la para a mente consciente. Sem dúvida, a letra deve ser gravada um pouco mais baixo que a música, para que a pessoa tenha que se esforçar para escuta-la. É por isso que a música gravada de uma forma correta, e ouvida por fones de ouvidos tem muito mais influencia sobre as pessoas”.

Existem duas fontes, para se obter uma “BACKWARD MASKING”.

1ª… A técnica de estúdio é bastante conhecida e antiga. Mas é algo muito raro hoje em dia, pelos problemas técnicos de aplicação (principalmente pelo CD), qualquer engenheiro de áudio sabe fazer isso.

2ª… Alguns discos, na sua grande maioria são de pura ilusão psicoacústica, tem que se forçar muito para se entender alguma coisa, e normalmente quando tentamos ouvir, temos a pretensão de ouvir algo errado, e não é muito difícil para nossas mentes pregar uma “peça” em nossos ouvidos.

Em um passado não muito distante, a igreja massacrou o grupo Rebanhão com acusações de backward masking, somente pelo fato de que muitos não gostavam de suas músicas, provou-se que eles nunca tinham usado em nenhuma gravação de seus discos.
Hoje, uma cantora de música Gospel, esta sendo exterminada por essas acusações que, diga-se de passagem, não edificam em nada o corpo de Cristo. Apesar de não gostar muito do seu estilo de música, essas pessoas não se preocupam em como vão afetar a moral de certos cantores, eles apenas querem acusar e fazer cruzadas moralistas contra aquilo que consideram perigoso contra o “Reino”. Já tentei ouvir, o Cd que eu tinha e de outros amigos, não continha nem uma única masking, NÃO OUVI NADA. Utilizei vários equipamentos como o Soud Forge, Etc.
Não nego que de fato alguns grupos utilizaram masking, como forma de anunciar seus conceitos e religião, camuflados em uma “Mensagem Subliminar” (Mas isso é um outro assunto).

Creio que temos nas mãos nada mais que uma técnica de estúdio, como várias outras. Grupos evangélicos como Petra e outros já usaram desta técnica, mas, colocando versículos bíblicos, ou orações de libertação e cura.

Creio realmente que não existe nada de satânico nas mensagens invertidas por si só, é apenas mais uma técnica que nossa tecnologia nos proporciona. Mas devemos estar alerta para o seguinte fato:
A repetição constante de uma letra com mensagens negativas pode afetar as pessoas.

“Devemos selecionar bem o que estamos ouvindo para que não sejamos enredados por filosofias vãs e enganosas que se fundamentam nas tradições humanas e nos princípios elementares deste mundo, e não em Cristo. Além disso, devemos evitar consumir músicas que apresentam valores contrários à Bíblia, pela simples razão de estarmos colocando dinheiro nas mãos de pessoas que se opões aos valores cristãos, ao Evangelho de Cristo e, muitas vezes, blasfemam o nome de Deus”… Sandro Baggio

jesuino23@terra.com.br

Compartilhe esse artigo

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
[adinserter block="4"]

Sumário

[adinserter block="5"]

Artigos Relacionados