bet365亚洲官网 bet365官网

Olá irmãos,

Graça e Paz!

Louvo a Deu por todos que tem orado e contribuído diretamente e indiretamente neste caso.

Sei que alguns de vocês talvez nem sabem o que está acontecendo, portanto vou esclarecer a todos com muitos outros detalhes de tudo o que está acontecendo.

Um julgamento sem precedentes promete esquentar o debate sobre liberdade religiosa no Brasil. No dia 16 de abril, Rev. Aldo Menezes e o pastor e pesquisador Joaquim Andrade da Agência de Informações Religiosas compareceram perante a Justiça de São Paulo para responder pelo crime de divulgar sua fé.

O processo, nº 050.02.001018-4/0, foi movido a pedido do Superior Órgão de Umbanda do Estado de São Paulo e União das Tendas de Umbanda e Candomblé do Brasil, entidades que reúnem adeptos da umbanda e de cultos Afros Brasileiro. O motivo é o trabalho de evangelização que o Pr. Joaquim e centenas de evangélicos realizam há mais de 18 anos nas praias do litoral paulista, durante as festividades em honra ao orixá Iemanjá. Nesta ocasião centenas de pessoas todos os anos confessam a Jesus como único Salvador e Senhor das suas vidas.

Numa dessas ocasiões, o trabalho gerou a indignação de algumas pessoas, inconformadas com o fato dos evangélicos estarem ali, distribuindo folhetos aos freqüentadores da festa – em local público, frise-se, e sem a ajuda de qualquer aparato de som que pudesse incomodar os cultos ali realizados. Intimado a comparecer perante autoridade policial, Joaquim foi fichado e, posteriormente, processado.

No dia 16, o que estava em questão, além do mérito da causa, é algo bem mais profundo – intolerância religiosa. Joaquim, Aldo Menezes (autor do folheto que distribuímos na noite de Iemanjá em Praia Grande – SP) e todos os evangélicos no Brasil podem ser condenados por praticar ato para o qual, acreditam, foram comissionados por Deus.

A audiência aconteceu na 17° vara criminal, Fórum Criminal Central ás 13:00.

Infelizmente o juiz numa arrogância sem igual começou a audiência olhando para nós e dizendo: “Escarnecedores, vocês não tem o que fazer, aqui é o seguinte: Para arquivarmos o processo vocês deverão pagar cada um a importância de R$ 1.000,00 para uma instituição de caridade e não poderão mais se valer deste benefício em outros casos judiciais. Tentei conversar com meu advogado na época (Dr. Cícero Duarte), mas o juiz disse que não era possível porque ali era uma audiência para aceitação ou não do acordo, assinamos o acordo e agora temos até segunda feira dia 26/04 para pagarmos a multa e arquivar o processo ou não pagarmos e dar continuidade ao processo.

Só que as coisas estão caminhando de uma maneira diferente recebemos várias ligações e-mails de apoio e orientação. Estamos mudando de advogado, meu amigo particular Dr. Cícero Duarte, que é escritor, conferencista e na área do direito tem pós-graduação na área tributarista não vai mais defender o caso, estamos passando o caso para o Dr. David Teixeira de Azevedo (filho do pastor Irlande de Azevedo, Professor da Escola de Direito do Largo São Francisco, USP, Professor de Direito Penal, trabalhou com Dr. Miguel Reali Jr. um dos maiores juristas do Brasil. ).

Ontem estive conversando com o advogado (Dr. David Azevedo) e estamos agora trabalhando para cancelar o acordo feito no dia 16/04.

Tenho recebido e-mails de vários lugares do Brasil e do mundo, é incrível como os evangélicos estão sendo solidários ao meu caso.

Deus está abrindo muitas portas, ontem gravei dois programas de debates na televisão: O primeiro na TV Bandeirantes, programa A Hora da Verdade com Márcia Goldsmith que vai ao ar talvez na segunda feira.

Neste programa houve a participação do presidente da União das Tendas de Umbanda e Candomblé do Brasil (“Pai” João). Tive a oportunidade de defender a liberdade religiosa com muita seriedade e num espírito cristão, Deus me deu muita graça a ponto de conversarmos depois do programa com o advogado dos umbandistas e o “pai” de santo. Esclarecemos muitas dúvidas explicando que o nosso trabalho era ético e com muito amor cristão.

Enquanto estava aguardando para gravar o programa da Márcia recebi uma ligação no celular do SBT para participar do programa do ratinho (um programa de grande audiência em todo o Brasil), este programa é bem sensacionalista. Gravamos o programa da Bandeirantes e seguimos direto para o SBT.

Enquanto conversava com os umbandistas o advogado Dr. Basílio disse que havia recebido uma ligação do SBT e que eles não iriam participar, eu disse que também recebi a ligação e que iria participar, qual não foi a minha surpresa quando comecei o programa dando minha entrevista. O apresentador chamou o Dr. Basílio e “Pai” João os líderes da umbanda.

Gravamos o programa que foi ao ar hoje (dia 25/04) ás 22:30, após programa recebi várias ligações de incentivo a continuar a luta.

No dia 08/05 vamos participar de um programa ao vivo na RTI (Rede de Televisão Internacional da Igreja Internacional da Graça de Deus). O assunto é: Liberdade Religiosa, meu advogado Dr. Davi Azevedo vai estar participando.

No dia 10/05 vai sair uma matéria na Revista Eclésia sobre Liberdade Religiosa falando do meu caso. Na mesma revista colaborei dando várias informações sobre satanismo no Brasil.

Estamos trabalhando com outra matéria para revista Enfoque que deve sair em junho.

Saiu duas matérias na internet: Na Folha On-line do dia 23 caderno cotidiano e no IG no último segundo do dia 23 também.

Agora tenho que preparar a nossa defesa, devo encontrar pessoas que foram evangelizadas na praia e fizeram uma decisão por Cristo na noite de Iemanjá. A nossa decisão é de tentarmos invalidar a transação penal, coisa que não vai ser muito fácil.

Pedimos a todos os irmãos que estejam orando e divulgando para que o Senhor nos de sabedoria neste caso. Estou muito confiante na nossa vitória.

Tenho alguns motivos de oração:

1 – Entrevistas: Para que o diabo não confunda o propósito delas, queremos glorificar a Deus e envergonhar o diabo.

2 – Família: Nossa Família tem sofrido ataques dos mais diversos, minha cunhada vai fazer uma cirurgia na terça feira e precisa das nossas orações.

3 – Igreja: Não estou podendo me dedicar como deveria e minha igreja está sofrendo com minha ausência (sou pastor em uma congregação com mais de 30 pessoas)

4 – Finanças: Por causa do processo é incrível como não estou conseguindo pagar a conta do telefone, por exemplo, estou gastando o que não estava no meu orçamento, ainda não consegui todo sustento necessário para meu ministério.

5 – Ministério da AGIR: O pastor Paulo Romeiro (presidente do ministério) está terminando seu doutorado e não está se dedicando integralmente ao ministério da AGIR. Não temos um bom computador, um fax, uma secretária, um Office-boy, etc.

Seu, no serviço de Cristo.
Pr. Joaquim de Andrade
Vice-presidente da AGIR

Mais informações: Pr. Joaquim de Andrade
Rua Domingos de Morais, 1458 – Vila Mariana – São Paulo, SP CEP: 04010-200.
Para contribuir com o ministério:
Agência Global de Informações Religiosas
Banco Bradesco: Agência 0548-7 C/C 75.280.0
Fone (011) 9173-8985 ou 5571-9367

Autor: Pr. Joaquim de Andrade – e-mail: joaquimagir@uol.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *